icone-yt pb

instagram-1ficones-twitter-fb pbicone-fb pb

Câmara de Sintra aprova orçamento de 194 milhões de euros para 2018

presidente cms

A Câmara Municipal de Sintra aprovou esta terça-feira, em reunião do executivo, o orçamento municipal para 2018, no montante de 194 milhões de euros, mais 21,8 milhões do que no ano anterior.

"A receita cresce bastante, uma parte por incorporação do saldo de tesouraria, mas a outra parte por aumento da receita fiscal, que é muito importante porque está ligada ao investimento privado", salientou Basílio Horta, que afirma ainda que o orçamento para 2018 regista "um aumento de receita, por via do aumento dos impostos derivados do investimento privado, acomodando a redução do IMI em dois pontos percentuais”. 
  
O orçamento, incorpora nas receitas 32,8 milhões de euros de saldo de tesouraria e um aumento de 3,1 milhões de IMT, mais 1,3 milhões da derrama, que compensam uma redução de 2,4 milhões do IMI. 

Os 194 milhões de euros da despesa repartem-se em 74,3 milhões para despesas de estrutura e 119,7 milhões para as atividades mais relevantes e plano plurianual de investimentos.

As despesas de estrutura incluem 71,1 milhões de euros de funcionamento, dos quais 53,4 milhões são despesas com pessoal (mais 2,4 milhões que no ano anterior), e 3,5 milhões de operações de serviço de dívida.

"A despesa está controlada, a única que aumenta é com pessoal, por força da adaptação das medidas legislativas, como desbloqueamento de carreiras, e da incorporação de novos profissionais, e o aumento do investimento é muito forte", frisou Basílio Horta. 

A atividade mais relevante ascende a 66,3 milhões, que inclui 12,7 milhões na educação, 11,4 milhões no tratamento RSU’s, 9,4 milhões no apoio às freguesias, 5 milhões na ação social, 4,3 milhões no saneamento, entre outros. 

As grandes operações do plano traduzem-se no investimento de 52,2 milhões de euros, com um reforço de 12,2 milhões em comparação com o orçamento de 2017, estando 22,4 milhões destinados ao espaço público e à reabilitação urbana.

Na área da saúde a autarquia vai gastar 36 milhões de euros entre 2018/2020 para a construção do Hospital de Proximidade de Sintra e construção de vários centros de saúde: Algueirão-Mem Martins, Agualva, Almargem do Bispo e Belas.

Na educação, o valor de 6,5 milhões destina-se à ampliação e remodelação de edifícios escolares (3,2 milhões), eficiência energética em edifícios escolares (2,7 milhões) e requalificação de refeitórios (0,6 milhões).

Na requalificação urbana estão consignados 8,2 milhões, com destaque para a Ribeira da Lage (2,1 milhões), as Áreas de Reabilitação Urbana (ARU) de Sintra, Mem Martins e Rio de Mouro, Agualva e Queluz/Belas (1,5 milhões), requalificação do Bairro SAAL e ruínas da Quinta do Pego Longo (3,1 milhões).

Nos 5,6 milhões de euros para espaços verdes estão incluídos o Eixo Verde Azul (2,9 milhões) e o Parque Urbano da Carregueira (1,8 milhões).

O investimento reparte-se, segundo a proposta apresentada ao executivo, de 8,9 milhões para a rede viária, designadamente na beneficiação e conservação de eixos rodoviários e na rede municipal de ciclovias de 2 milhões.

Os 1,2 milhões para o parque habitacional social repartem-se em reabilitação e conservação (0,7 milhões) e plano de aquisição de fogos (0,5 milhões).

No desporto e juventude estão inscritas verbas para a construção da Pousada da Juventude no valor de 1,4 milhões, e a requalificação de equipamentos desportivos no valor de 1,2 milhões.

Artigos relacionados

  • Sintra comemorou os 108 anos da Implementação da República com a cerimónia do Hastear da Bandeira
    5 outubroDurante a cerimónia, realizada no dia 5 de outubro, o presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta referiu os três principais ideais que sustentaram a revolução - liberdade, igualdade e fraternidade – acrescentando o desenvolvimento económico como quarto princípio. “A liberdade é as pessoas sentirem-se ouvidas o que nos levou à criação dos conselhos estratégicos, para conseguirmos chegar mais perto da população e chamar a sua participação”, referiu o presidente da autarquia, defendendo que “todos os homens nascem livres e iguais em direitos, qualquer poder deve tratar todos por igual, todos devem ter igualdade na dignidade e igualdade de oportunidades” e “não podemos viver uns sem os outros, é importante olhar com atenção para todos os que nos rodeiam”. Por último mencionou que “sem desenvolvimento económico a igualdade não poderia existir, não haveria capacidade de criar emprego nem a capacidade de criar riqueza”. Mais tarde, nos Paços do Concelho, foi assinado um protocolo entre a autarquia e a Associação para a Inovação e Tecnologia em Pedra Natural (constituída pelo Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa e a Assimagra- Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores, Granitos e Ramos Afins), para a atribuição de um subsídio no valor de 150 mil euros e a cedência pelo período de dois anos de uma sala no Edifício Multiusos de Pêro Pinheiro para instalação da sede. Deste protocolo nasce assim o Centro de Inteligência e Tenologia da Industria da Pedra Natural – StoneCITI. Basílio Horta enalteceu o projeto pela “sua capacidade de ir mais longe e por permitir o desenvolvimento de uma parte do concelho”, referindo ainda que este acordo teve “um fim e um início. Fim de um longo processo de reuniões com os empresários e o início de uma parceria de enorme importância para o associativismo da região. É também o princípio de um forte impulso para a região, considerada o coração da pedra, Pêro- Pinheiro”. As comemorações continuaram em Rio de Mouro, onde foi inaugurada a Praceta Sacadura Cabral, depois de profundas obras de requalificação cujo objetivo passou pelo reforço e qualificação da praceta enquanto centralidade urbana. Em Monte Abraão, decorreu no Bairro 1.º de Maio a entrega das chaves de duas lojas municipais à Associação dos Naturais e Amigos de Angola em Portugal e à Casa da Guiné – Associação de Solidariedade Social. Foram, também, entregues cerca de oitenta acordos de utilização da Horta Solidária. Este projeto é cofinanciado pelo PEDU - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, com a colaboração da CCDR - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo. Para Basílio Horta, este foi mais um momento de “coesão territorial, dando continuidade à Política Concelhia de Acolhimento e Integração promovendo um olhar solidário sobre as pessoas deslocalizadas.” Por fim, foi inaugurado o Espaço Recreativo e de Lazer do Bairro 1.º de maio, composto por um espaço de jogo e recreio, um espaço desportivo e um espaço de lazer que vai proporcionar a convivência entre as várias gerações de moradores do bairro.

Contactos
____

Largo Dr. Virgílio Horta 
2714-501 Sintra

Telefone: 219 238 500
Fax: 219 238 657



Estamos em rede:

icone-fb Facebook

icone-tw Twitter

instagram-2Instagram

icone-yt Youtube

  |  Copyright: Câmara Municipal de Sintra 2017