icone-yt pb

instagram-1ficones-twitter-fb pbicone-fb pb

proj-cof-ue a1
bot-areas1b

ban-musa2a

banco-livros-escolares1

Parques e Jardins

Parque da Liberdade

Mapa de localização

De endereço:

galeria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdadegaleria_pq_liberdade

Anunciada a aquisição do Parque Valenças em 1936 pela Comissão de Turismo de Sintra, com o propósito de dotar Sintra de um Parque Público, ela viria a concretizar-se no ano seguinte (1937), tendo sido entusiasticamente saudada pelos populares.

A inauguração, essa, teve lugar no início de Julho desse ano, no âmbito de uma cerimónia com pompa e circunstância, tendo contado com a presença do então presidente da República, General Carmona e sido secundada pelo júbilo popular.

Objeto de melhoramentos vários e de um processo de contínuo embelezamento, voltaria a ser notícia em Agosto de 1939, para destacar o campo de ténis e a inauguração do “campo de patinagem”. Não sendo dos maiores, com uma superfície de 450m2, ou seja o mínimo exigível para desafios de hóquei em patins, anunciava-se para breve a realização de jogos com equipas de nomeada.

A alegria e o prazer daqueles que durante a tarde deram azo aos treinos de patinagem terá sido estonteante.

E de facto até há 12 anos atrás o Hockey Clube de Sintra lá treinou, lá jogou, lá enfrentou equipas rivais, lá construiu os méritos que foi granjeando.

Em Maio de 2006, foi o local escolhido para os jogos comemorativos do seu 60º aniversário, entre veteranos e entre infantis, com a evocação dos momentos vividos no ringue do Parque.
Curiosamente a patinagem livre com patins em linha – tão do agrado dos mais novos - regressou ao Parque no dia seguinte, restaurando uma prática que o tempo interrompeu e lá se manterá até final de Setembro, abrindo tal possibilidade aos sábados, domingos e feriados.

Anfitrião ainda de iniciativas várias, são sempre novas as razões  que incrementam a visita a um espaço de eleição.
Acredita-se que um novo brilho se empresta ao Parque da Liberdade, e que sejam mais, que sejam muitos, a fruir daquilo que nele se oferece.

E aquilo que nele se oferece é também um enquadramento invejável, com um coberto vegetal natural e com uma estética, uma paisagem e um conjunto de interações que permitem um variado número de nichos ecológicos incrementando a biodiversidade.

Quando se passeia pelo Parque da Liberdade, tem-se mais de 4 centenas de árvores, de 60 espécies diferentes, por companhia. Elas crescem, florescem, mudam de fisionomia... na esperança, também, de que as pessoas notem as diferenças.

Horário de funcionamento:

  • Das 10h00 às 18h00 de outubro a março
  • Das 10h00 às 19h00 a partir de 1 de abril 
  • Das 10h00 às 20h00 aos fins-de-semana e feriados, entre junho e setembro

Nota: até 20 de setembro, aos domingos, o parque encerra às 17h00.


Os diversos prémios e “medalhas de ouro e prata” que a Coudelaria Quinta dos Cedros tem conquistado, resulta de uma criteriosa seleção de cavalos lusitanos, treino profissional e instalações equestres excelentes, já reconhecidas por técnicos internacionais de outros países que a tem visitado.

PARQUE DA LIBERDADE
O coberto vegetal do Parque da Liberdade é caraterizado por um desenvolvimento essencialmente natural, com uma estética, uma paisagem e um conjunto de interações que permitem um variado número de nichos ecológicos incrementando a biodiversidade.
É de 410 a população residente no Parque, distribuídas por mais de 60 espécies diferentes.

Essências arbóreas do Parque da Liberdade e número total de exemplares por espécie:
• Abeto-grego (Abies cephalonica) – 2
• Bôrdo (Acer campestre) – 4
• Ácer (Acer pseudoplatanus) – 14
• Castanheiro-da-Índia (Aesculus hipocastanum) – 4
• Castanheiro-vermelho-da-Índia (Aesculus x carnea) – 1
• Castanheiro-vermelho-da-Índia (Afrocarpus mannii) –1
• Araucaria-da-queenslândia (Araucaria bidwillii) – 3
• Araucaria-de-norfolk (Araucaria heterophylla) –3
• Braquiquitom (Brachychiton populneum) –1
• Castanheiro (Castanea sativa) – 4
• Casuarina ( Casuarina equisetifolia) –5
• Cedro-do-himalaia (Cedrus deodara) – 1
• Olaia (Cercis siliquastrum) –3
• Camecipáris-do-oregon (Chamaecyparis lawsoniana) –19
• Camecipáris obtusa (Chamaecyparis hinoqui) – 1
• Camecipáris (Chamaecyparis sp. cf pisifera ) – 3
• Camecipáris (Cinnamomum sp., cf zeylanicum) – 1
• Criptoméria (Crytomeria japonica) – 2
• Cipreste-do-buçaco (Cupressus lusitanica) – 9
• Cipreste-da-califórnia (Cupressus macrocarpa) – 8
• Oliveira-do-paraíso

Data de 1936 o anúncio da aquisição do Parque Valenças pela Comissão de Turismo de Sintra, com o propósito de dotar Sintra de um Parque Público, tendo o fato merecido uma manifestação de regozijo, com lugar a 24 de Junho e dirigida pelos populares à Câmara Municipal e à Comissão de Iniciativa e Turismo, conforme se vê noticiado pelo Jornal de Sintra, na sua edição de 5 de Julho desse ano.

Classificado como um grande melhoramento, preencheria aquilo que se considerava uma lacuna, porquanto: “(...) não estava certo que, sendo esta vila conhecida pela terra dos jardins e das flores, não tivessem os seus habitantes e os turistas  um Parque Público, onde pudessem passear ou descansar das suas fadigas (...)”.

A assinatura da escritura de aquisição em 1937, permitiria que os portões se vissem franqueados no dia de Natal, o que suscitou grande ajuntamento de pessoas na Praça da República, que assistiram à queima de “(...) algumas centenas de foguetes estrepitosos e à actuação da Banda da União Sintrense (...)”.

Mas a inauguração do Parque teve lugar no início de Julho desse ano, tendo contado com a presença do então Presidente da República, General Carmona, no âmbito de uma cerimónia com pompa e circunstância e secundada pelo júbilo popular.

Em Agosto de 1939 voltaria a ser notícia, para saudar os melhoramentos entretanto introduzidos, com um especial destaque a caber ao campo de ténis e ao então inaugurado campo de patinagem. Não sendo dos maiores, com uma superfície de 450m2, ou seja o mínimo exigível para desafios de hóquei em patins, anunciava-se para breve a realização de jogos com equipas de nomeada.
A alegria e o prazer daqueles que durante a tarde deram azo aos treinos de patinagem terá sido estonteante.

Localização: Vila de Sintra

 

Parque das Merendas

Mapa de localização

De endereço:

galeria_pq_merendasgaleria_pq_merendasgaleria_pq_merendasgaleria_pq_merendasgaleria_pq_merendasgaleria_pq_merendas

Desfrutar de um ambiente aprazível, com um enquadramento paisagístico extraordinário e “vistas de perder de vista”, tendo mais de meio milhar de árvores de grande porte e de médio porte por companhia, à sombra das quais pode fazer-se uma merenda, ou ler, ou descansar, parecem motivos suficientes para visitar a Mata Municipal – Parque das Merendas.

Horário normal de funcionamento:

  • De Outubro a Março: das 10h00 às 17h00
  • De Abril a Junho e durante o mês de Setembro: das 10h00 às 18h00

No período compreendido entre 1 de Julho e 31 de Agosto, das 10h00 às 19h00

Os diversos prémios e “medalhas de ouro e prata” que a Coudelaria Quinta dos Cedros tem conquistado, resulta de uma criteriosa seleção de cavalos lusitanos, treino profissional e instalações equestres excelentes, já reconhecidas por técnicos internacionais de outros países que a tem visitado.

MATA MUNICIPAL – PARQUE DAS MERENDAS

Ultrapassa o meio milhar o número de árvores (549) de grande porte e de médio porte que moram no Parque das Merendas.
- São consideradas de grande porte os indivíduos de espécies arbóreas com altura superior a 5m e PAP superior a 100cm;
- São consideradas de médio porte os indivíduos de espécies arbóreas com altura superior a 2,5m e PAP superior a 50cm.

Essências arbóreas do Parque das Merendas e número total de exemplares por espécie:
• Acácia (Acacia dealbata) - 1
• Acácia (Acacia melanoxylon) – 41
• Ácer (Acer campestre) –2
• Ácer (Acer pseudoplatanus) – 18
• Castanheiro-da-índia (Aesculus hippocastanum) – 3
• Medronheiro (Arbutus unedo) – 4
• Castanheiro (Castanea sativa) – 84
• Cedro (Cedrus spp.) – 1
• Camaeciparis (Chamaecyparis lawsoniana) – 18
• Cipreste-do-buçaco (Cupressus lusitanica) – 6
• Eucalipto (Eucalyptus globulus) – 13
• Figueira (Ficus carica) – 4
• (Não é possível a identificação) – 14
• Pinheiro (Pinus pinaster) –6
• Pinheiro (Pinus pinea) – 3
• Pitosporo (Pittosporum undulatum) – 146
• Plátano (Platanus acerifolia) – 12
• Carvalho (Quercus spp) – 2
• Carrasco (Quercus coccifera) –5
• Carvalho (Quercus pyrenaica) – 45
• Carvalho (Quercus robur) – 46
• Carvalho (Quercus suber) – 41
• Robinia (Robinia pseudoacacia) – 1
• Sequóia (Sequoia sempervirens) – 1
• Tuia (Thuja plicata) - 32

Localização: Vila de Sintra

 

Matinha de Queluz

Mapa de localização

De endereço:

Pequeno espaço florestal murado, inserido na malha urbana da cidade de Queluz, a Matinha engloba um conjunto de vegetação espontânea, considerado um testemunho residual da formação vegetal que cobriria a zona em tempos antigos.

Ecossistema sensível de conservação prioritária, é igualmente considerada um povoamento relíquia de sobreiros e outra vegetação natural, sendo entendida, no meio científico, como uma potencial reserva genética.

Tendo-se tornado propriedade da Casa Real após a restauração de 1640, com a construção do Palácio de Queluz, iniciada em 1747, tornou-se num espaço destinado à caça e à realização de touradas.

Em 1975 foi cedida pela Direção Geral da Fazenda Pública à Direção Geral dos Serviços Florestais e Aquícolas, e em 1986 um despacho ministerial reconheceu-lhe aptidões de recreio e lazer e integrou-a no então Serviço Nacional de Parques, Reservas e Conservação da Natureza, atual Instituto da Conservação da Natureza.

O protocolo assinado em Abril de 2006 entre esse Instituto e a Câmara Municipal de Sintra, celebrado no âmbito da salutar colaboração institucional entre entidades públicas, conferiu à autarquia a manutenção e beneficiação da Matinha de Queluz, bem como ainda a gestão do uso do espaço para aí promover atividades relacionadas com a vocação da área em causa, incrementando a sua fruição por diferentes públicos.

Parque Urbano Felicio Loureiro

Mapa de localização

De endereço:

Parque bastante arborizado, com equipamentos que proporcionam aos utentes atividades de recreio, lazer e exercício físico.

Divide-se em duas zonas, sendo que uma se prolonga ao longo das margens da ribeira, onde se destaca entre outros equipamentos, a escultura de José Pedro Croft em calcário bujardado.

Na outra zona, destaca-se o circuito de exercício físico, assim como zonas relvadas vocacionadas para o recreio e lazer.

Esta instalação tem excelentes condições para a realização de várias atividades, nomeadamente desportivas e de sensibilização
ambiental.

Localização: Queluz

 

Parque Urbano Casal de Cambra

Parque de grandes dimensões, com vários  equipamentos, onde se destaca um lago artificial, uma zona de bosquete e equipamentos para as crianças (Parque infantil). Espaço vocacionado para o lazer, recreio e exercício físico, onde se inclui o Pavilhão Municipal de Casal de Cambra.

Localização: Casal de Cambra

Tab Title 1

De endereço:

 

 

Jardim da Anta

O Jardim da Anta é um espaço que tem sido alvo de processo de requalificação e, embora de dimensões médias, é um local que possibilita aos utentes de usufruirem de zonas relvadas e com árvores de grande porte que proporcionam bastantes zonas de sombras.

É um jardim vocacionado para o recreio e lazer.

Localização: Agualva

 

Parque Urbano de Mira Sintra

Devido à sua situação geográfica, é um parque de fácil acesso a todos os moradores.

É uma instalação bastante arborizada com árvores ainda jovens. Destacam-se alguns equipamentos como dois “Bolders” (escalada), um “Half Pipe”, um Ringue de Patinagem e um circuito de Exercício Físico.

Trata-se de um espaço vocacionado para o lazer, recreio e exercício físico.

Localização: Mira Sintra

 

 

Parque Urbano da Serra das Minas

O Parque Urbano da Serra das Minas tem uma área considerável, destacando-se uma mata de pinheiros, um parque infantil, um polidesportivo e um “Half Pipe”.

Localização: Serra das Minas

 

Parque Qtª Santa Teresinha

Parque inserido em plena malha urbana, caraterizado pela existência de alguns espaços verdes, passeios pedonais, algumas árvores de médio porte, parque infantil, ringue de patinagem e “Half Pipe”.

Localização: Mem Martins

 

Parque Urbano Salgueiro Maia

Inserido em plena malha urbana e caracterizado por ser um espaço vedado com alguns equipamentos, destaca-se um parque infantil, um anfiteatro e zonas de relva.

É uma instalação vocacionada para atividades desportivas e recreativas.

Localização: Massamá

 

 

Parque 25 de Abril 

Parque inserido em plena malha urbana, bastante frequentado pelos utentes da freguesia.

Destaca-se ainda um parque infantil vedado e com vigilância permanente durante o horário de funcionamento.

Localização: Monte Abraão

De endereço:

 

Parque Urbano do Pendão

Parque inserido num terreno bastante acidentado, com equipamentos vários, destacando, destacando-se uma cascata, um polidesportivo e zonas relvadas.

Localização: Pendão

 

Parque Urbano do Cacém - Qtª da Bela Vista

O Parque estende-se ao longo das margens da Ribeira das Jardas.

Caracterizado por um passeio ribeirinho na margem esquerda, dispõe de um espaço de bosque com percursos de atravessamento, que permitem aos utentes um contato estreito com a natureza.

A Ribeira das Jardas é pontualmente frequentada por aves migratórias (patos).

Localização: Cacém

 

Jardim da Samaritana

Jardim de média dimensão, sendo um espaço vocacionado para o lazer.

Localização: Belas

 

Contactos
____

Largo Dr. Virgílio Horta 
2714-501 Sintra

Telefone: 219 238 500
Fax: 219 238 657



Estamos em rede:

icone-fb Facebook

icone-tw Twitter

instagram-2Instagram

icone-yt Youtube

  |  Copyright: Câmara Municipal de Sintra 2016