icone-yt pb

instagram-1ficones-twitter-fb pbicone-fb pb

Portaria que autoriza despesa da N117 publicada esta terça-feira

CMS 7278

A portaria Portaria n.º 49-A/2017, assinada pelo ministro das Finanças e ministro do Planeamento e Infraestruturas, foi publicada esta terça-feira em Diário da República e autoriza a Infraestruturas de Portugal (IP) a proceder à repartição de encargos relativos ao contrato da empreitada (EN 117 – Pendão (km 7+650)/Belas (km 8+900) Reabilitação), até ao montante global de 2 milhões e 390 mil euros.

A obra adjudicada à empresa de engenharia civil e obras públicas Conduril, deverá começar nas próximas semanas.

Em março do ano passado a Câmara de Sintra e o Governo assinaram o protocolo para a requalificação do troço. Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra, e o presidente do Conselho de Administração Executivo das Infraestruturas de Portugal, António Ramalho assinaram o documento, numa cerimónia que contou com a presença do secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme D´Oliveira Martins que homologou o protocolo.

Basílio Horta lembrou na ocasião que “este é um dia importante para a Sintra e principalmente para os utilizadores daquela estrada, que durante anos tem sido um perigo, mas também tem sido condicionante do desenvolvimento territorial daquela zona”.

Apesar de a IP desenvolver o projeto, o município de Sintra investe aproximadamente 1 milhão de euros para “obras de construção de passeios e da ciclovia, que têm o custo inicial estimado de 82 mil euros, e obras de substituição da conduta de abastecimento de água e respetivos ramais, com o custo inicial estimado de 1 milhão e trinta e quatro mil euros”, menciona o protocolo. O secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme D´Oliveira Martins disse na ocasião que “este momento representa um salto considerável na requalificação de uma estrada nacional que precisava de resolução”.

galeria_N117galeria_N117galeria_N117galeria_N117galeria_N117

Artigos relacionados

  • Sintra organiza seminário sobre oportunidades de negócio em Marrocos
    web CMS 5492 A Câmara Municipal de Sintra organizou, esta segunda-feira, um encontro para debater as oportunidades de negócio em Marrocos, com a presença de agentes económicos e empresas sediadas localmente. “Em Sintra consideramos de grande importância os nossos empresários. Temos realizado várias iniciativas e seminários sobre oportunidades de negócio em diversos países e, hoje, a iniciativa é de aproximação dos laços económicos e de amizade com Marrocos”, referiu Basílio Horta na abertura do Seminário. O Presidente da Câmara Municipal de Sintra relembrou ainda que “quando pensamos em relações bilaterais devemos pensar na perspetiva de investimento para ambas as partes e há diversos sectores em que os empresários portugueses podem expandir os seus negócios em Marrocos e os empresários marroquinos podem investir em Portugal”, concluiu. No seminário que decorreu durante a tarde de segunda-feira, no Palácio de Valenças, foram mencionados pela embaixadora do Reino de Marrocos em Portugal, Karima Benyaich vários indicadores relacionados com a situação geográfica, social e económica daquela região: “Marrocos tem cerca de 34 milhões de habitantes e viveu ao longo do século XX um forte crescimento, que multiplicou por 6 a sua população desde 1912. O país apresenta baixa inflação com 1,3%, em 2016 e para atrair empresas estrangeiras e lutar contra o desemprego, o país lançou uma nova estratégia industrial para 2014-2020, procurando realçar, neste contexto, os baixos salários locais e a criação de um fundo de 1,8 biliões de Euros para as empresas que se estabeleçam no país.” A embaixadora do Reino de Marrocos referiu oportunidades para a realização de negócios naquela região: ”Em primeiro lugar surge o sector da construção e obras públicas, dado que a renovação das infraestruturas foi apontada como uma das prioridades de Marrocos”, mencionando ainda a área do turismo que “oferece grandes potencialidades num país que tem sabido preservar a estabilidade, mesmo com muita agitação social e política”. Outro sector no qual Portugal tem já uma considerável experiência é o das energias renováveis, nomeadamente a solar e a eólica. Neste aspeto Karima Benyaich salientou:”os marroquinos querem apostar para contrabalançar a sua forte dependência de fontes de energia importadas”, notando também outros sectores nos quais se poderiam estabelecer parcerias entre as empresas portuguesas e marroquinas: "A construção automóvel e os têxteis seriam igualmente bons sectores". O seminário contou com a presença da diretora das Relações Institucionais e Mercados Externos da AICEP, Maria João Gomes, e do CEO da empresa SMAFEC, José Neres.

Contactos
____

Largo Dr. Virgílio Horta 
2714-501 Sintra

Telefone: 219 238 500
Fax: 219 238 657



Estamos em rede:

icone-fb Facebook

icone-tw Twitter

instagram-2Instagram

icone-yt Youtube

  |  Copyright: Câmara Municipal de Sintra 2016